Ernest Hemingway considerava que havia somente 3 esportes: touradas, corrida de automóveis e montanhismo. O resto, eram apenas joguinhos. Apesar do Mundo Crux não compartilhar dessa opinião, sua linha de raciocínio era de que se qualificava como esportes somente aqueles que tivessem grandes chances de morte.

Como há montanhas que possuem estatísticas de mortes acima de 40%, seguindo essa linha, o montanhismo é O Esporte. A seguir, estão as 5 coisas mais incríveis que o homem fez ao conquistar uma montanha.

5º Colocado – Herman Buhl e o Nanga Parbat

Herman Bulh realizou uma expedição para escalar o Nanga Parbat em 1953 (imaginem seus equipamentos nessa época). A montanha com 8.125msnm , também conhecida com a “Killer Mountain” – porque até 1977 possuía um registro de mortes de 77% – era seu objetivo. Mas Herman Bulh não era uma pessoa qualquer. Obstinado e persistente, chegava a treinar com bolas de neve nas mãos para se acostumar ao frio.

No decorrer da expedição, após sofrer com o mau tempo e problemas de organização, sua equipe consegue uma janela de bom tempo e começa a subir para um acampamento a 6.880 msnm. Começaram a escalar, mas seus parceiros não se sentiram bem. Ele tomou então a arriscada decisão de subir uma montanha com mais de 8.000 msnm sozinho (!).
Imagina isso, em 1953! Então, ele foi o primeiro.

A Montanha Nanga Parbat

O único problema é que ele acabou a ascensão quando já estava escuro e teve que passar a noite na montanha. Mas é tranquilo passar a noite na montanha, você mesmo já deve ter feito isso, não é? Eu já, mas no caso de Buhl tinha alguns fatores a mais:

  • Ele não tinha nenhuma proteção (abrigo)
  • Ele não tinha oxigênio suplementar (praticamente não há o que respirar lá, porque está acima da Zona Mortal)
  • Estava um “friozinho agradável” de -40ºC
  • Ventos horríveis sempre sopram por lá
  • Ele não podia dormir porque iria congelar até a morte.
  • Ele havia escalado por 18 horas, ou seja, devia estar um pouco cansado.
  • Ah!.. E ele não tinha água, nem comida.

 

Herman Buhl com o Nanga Parbat ao fundo

A propósito, ele sobreviveu.

Herman Buhl após retornar do Nanga Parbat

Fonte das fotos: http://www.summitpost.org/

 

4º Colocado – Pete Schoening e o K2

Ele era o mais novo e menos experiente de uma expedição que foi reunida para escalar o K2 no verão de 1953 que, como já vimos, era muito bem instrumentalizada. Ele nunca havia escalado nada nem similar a uma montanha nevada, somente algumas rochas dentro dos EUA. E o K2, até hoje, é considerada a montanha mais difícil do mundo. O tal do Schoening foi lá “para ver o que rolava”.

Após quatro dias de tempestade (de neve, é claro), próximo ao topo, um membro da equipe começa a ficar muito mal. A única alternativa para salvar o cara era descê-lo a uma altitudes mais baixa. Mesmo com a tempestade e a falta de equipamentos, eles desceram o cara montanha abaixo. Desceram até encontrar um campo de gelo.

k2

Agora, imagina você descendo uma montanha muito íngreme, carregando uma pessoa “nas costas” e encontra um campo de gelo. Não é de se surpreender que um dos montanhistas escorregou e, como estavam todos ligados entre si, fez-se uma reação em cadeia puxando todos os alpinistas montanha abaixo.

Cordada de resgate no K2

Mas alguém impediu a queda, esse alguém era, nada mais nada menos, que Schoening. Ele, com sua pouca experiência, seu pouco preparo e, pelo visto, pouca força, segurou (literalmente) seis integrantes da equipe com seus respectivos equipamentos. Fez isso se segurando a um Piolet cravado no gelo.
Vamos mais uma vez fazer um exercício de imaginação: o cara passa dias escalando o K2, na neve, no meio de uma tempestade, acima da Zona Mortal e aguenta segurar cerca de 500 quilos com as próprias mãos!!

A segurança feita por Schoening

Então, ele virou lenda e seu piolet está exposto em um museu.

Pete-schoening
O Piolet de Schoening

Fonte das fotos: elpioletdemadera.blogspot.com/

 

3º Colocado – Joe Simpson e a Siula Grande

Esse, na minha opinião, deveria ser considerado o primeiro. Mas, como estamos seguindo a ordem da nossa referência, segue a terceira posição.

Com 25 anos, em 1986, Joe resolveu escalar a Siula Grande, uma montanha com 6.344msnm, situada na Cordilheira dos Andes, no Peru. A rota escolhida era a Oeste, uma via que era considerada a mais difícil da América do Sul. Como ele já havia escalado algumas montanhas nos Alpes, e montanhista é tudo cabeça dura, ele resolveu que seria essa mesma!

Então, apesar do cenário que a gente colocou aqui, ele conseguiu escalar. Mas (sempre tem um “mas” nesse post) ao começar a descer a montanha, ele caiu. Na queda, ele bateu no solo com a perna esticada quebrando seu joelho e fazendo com que fosse impossível qualquer movimento. Descer essa montanha já é difícil em boas condições (com as duas pernas intactas), imagina agora seu amigo resgatando Joe montanha abaixo. Literalmente, sendo arrastado e batendo em rochas e tudo mais. Como se pode adivinhar, lá veio ela, a tempestade, baixando a temperatura a níveis insuportáveis (o texto original fala em -60ºC, mas eu realmente duvido).

Joe Simpson e a Siula Grande

Joe Simpson e a Siula Grande

No meio da tempestade, seu amigo Yates teve que descê-lo de um penhasco onde não podia ver o final. A corda acabou não sendo longa o suficiente para acabar a descida com segurança e, assim, eles ficaram encurralados: Yates não podia puxar Joe de volta e nem finalizar a descida. A tempestade, além do frio, impossibilitava a comunicação entre os dois. Com o frio extremo e o peso de Joe fazendo o conjunto cada vez mais inseguro, Yates teve que tomar uma decisão.

Pergunta: O que você faria numa situação dessas? Isso mesmo, Yates cortou a corda! Joe caiu por 30 metros e acabou parando em uma fenda, com sua pequena dor de uma perna quebrada e o impacto da queda. Yates não conseguiu chegar até ele e o deu como morto.

Siula Grande

Mas Joe estava vivo (!!!) e tinha duas opções: esperar e morrer ou se arrastar por 7 quilômetros montanha abaixo, após conquistar a montanha mais difícil da América do Sul, quebrar a perna e ser jogado de 30 metros de altura. Foi exatamente isso que ele fez! Ele sobreviveu a tudo isso e ainda voltou a escalar 2 anos depois, apesar dos médicos dizerem que ele nunca mais iria escalar.

 


UPDATE

Dando sequência à lista das coisas mais incríveis feitas pela conquista de uma montanha, com nossos dois finalistas. Já escalei montanhas nevadas e sei que é muito difícil, por vários fatores, mas esses caras conseguiram superar toda e qualquer lógica que se pode ter em um nível de esforço.

2º Colocado – Anatoli Boukreev e o Everest

Durante os anos oitenta, o Russo Anatoli Boukreev fazia parte da fina nata dos montanhistas desse país.  No entanto eles não podiam sair de seu país para escalar devido à Guerra Fria, ou seja, praticamente não podiam escalar! Então com a queda da URSS ele pôde dar o seu rolê!

Mas como já ficou batido nesse post, ele foi dar o rolê no Everest e como já podem imaginar, lá vem uma tempestade! Só que, dessa vez, veio a maior e mais mortal de todos os tempos!

Em uma pequena janela de bom tempo, todas as equipes que estavam querendo subir o Everest começaram a escalar ao mesmo tempo. Havia muitas equipes e, como era de se esperar, ocorreu um engarrafamento de escaladores e todos acabaram ficando presos no meio da via. Vamos somando fatores: Tempestade vindo com temperaturas de -70ºC e ventos de mais de 100km/h, um monte de escaladores presos e a famosa noite na montanha.

Anatoli Boukreev

Mas a essa hora Anatoli já estava bem tranquilo. Já havia retornando ao acampamento, quando soube que havia um monte de pessoas perdidas no meio da montanha. Uma pessoa normal ficaria em sua barraca para descansar mas nãããããoooo, o Russo saiu! Foi subir o Everest DE NOVO, NO MESMO DIA, À NOITE, E COM UMA BRUTA TEMPESTADE!

everest-storm

Mas valeu a pena. Ele conseguiu, sabe-se lá como, salvar 3 escaladores de uma tempestade que matou oito.

 

1º Colocado – Reinold Messner e o Nanga Parbat

Já falamos bastante de tempestade, vento, neve, noite, Nanga Parbat, etc. Mas agora quem está no jogo é o Reinold Messner, nada mais que o Chuck Norris das montanhas. Na verdade o Nanga Parbat é quem deveria ter medo dele!

Reinhold-messner

Já temos o cenário do que pode ocorrer em situações como essa, então vamos contar o que aconteceu. Ele e seu irmão (juntamente com a expedição) foram subir essa montanha e, após vários dias de escalada, conseguiram atingir o cume. No entanto, como não podia ser diferente neste post, eles chegaram quase à noite. Como seu irmão estava totalmente exausto e mal podia se mexer, tomou a decisão de dormir no cume para, no dia seguinte, tentar descer por uma rota mais fácil.

 

A pergunta que fica é: preciso mesmo dizer, ou os ensinamentos anteriores já nos informam do que vai acontecer?

Assim sendo, ele esperou o dia chegar e começou a descer por uma rota que nunca havia sido feita, nem ao menos explorada, NEM NADA! Foi assim que ele saiu dessa situação, fazendo a primeira travessia (duas rotas) de uma montanha com mais de 8.000 metros de altitude na montanha mais perigosa até então.

Ah, mas ainda não acabou. Eles acabaram sendo pegos por uma avalanche e seu irmão faleceu. Reinold teve então que descer sozinho até o acampamento, o que levou seis dias.

Queria agora fazer um resumo das coisas que esse cara fez:

  • Escalou o Nanga Parbat (na época tinha 77% de índice de mortes)
  • Escalou sem oxigênio suplementar
  • Dormiu no cume
  • Fez uma travessia de montanha com mais de 8.000 metros (a primeira na história)
  • Abriu uma rota de escalada “no peito”
  • Foi pego por uma avalenche
  • Se arrastou por 6 dias até chegar ao acampamento
  • Teve que amputar suas pontas dos dedos da mão e pés
  • SOBREVIVEU

Só para constar, anos depois ele voltou à esta montanha e a fez em um Solo Climb, só para “se vingar” dela.

A propósito, ele escalou todas as outras montanhas com mais de 8.000 metros de altitude. Foi o primeiro homem a fazer isso.

 

Resumo:

Para não falarem que estou mentindo, segue o resumo das “5 coisas mais incríveis feitas pela conquista de uma montanha” com suas respectivas fontes, para se aprofundarem nesse assunto.

1º Colocado – Reinold Messner e o Nanga Parbat – Filme contando a história da escalada

2º Colocado – Anatoli Boukreev e o Everest – Livro contando a trágica tempestade

3º Colocado – Joe Simpson e a Siula Grande – Filme que também tem em livro

4º Colocado – Pete Schoening e o K2 – Parece ser o livro, temos que confirmar

5º Colocado – Herman Buhl e o Nanga Parbat – Livro do feito

 

Essa matéria é um post adaptado do www.cracked.com

About The Author

Mineiro radicado na cidade sorriso que, para quem não conhece, é Curitiba. Com 29 anos de idade, é formado em Engenharia Elétrica pela UFPR. Amante de tudo que envolve a natureza. Seus hobbies são: Paraquedismo, Montanhismo, Corrida, Ciclismo, Escalada (atualmente somente indoor) e principalmente viagens.

Related Posts

20 Responses

  1. Luiza Campello

    Texto incrível! O ser humano é mesmo capaz de se superar, sempre…
    Esses caras entraram para a minha lista de "herois de carne, osso e coragem". São pessoas que realmente inspiram. Pelo menos a mim, me fazer repensar as pequenices e mediocridade do dia-a-dia.

    Amei a leitura!
    Marcos Mineiro texto excelente!!! Grave e ao mesmo tempo divertido, a descontração na medida certa! Vou ficar ansiosamente esperando a continuação.

    Responder
    • Marcos Mineiro

      Valeu Luiza! Muito irado mesmo! E eu achando minhas voltinhas pelas montanhas eram difíceis. O ser humano pode fazer coisas incríveis!

      Responder
  2. Benny Ricciardi

    Irado demais! E to na pira da continuação. Se esse bixo aí foi o terceiro colocado da lista, imagina o que fizeram os dois primeiros (!) Inspirador, como disse a Luiza.

    Responder
  3. Felipe Scuissiatto

    Show de bola o texto! E aposto que todos esses malucos fariam isso de novo!

    Responder
  4. Gerusa Palhares

    O titulo da uma interpretaçao errada da materia. Na verdade seria algo como: As 05 coisas mais incriveis de sobrevivencia feita em uma conquista de montanha.

    Responder
  5. Paulo Marim Junior

    Muito engraçado o Reinhold Messner como o Chuck Norris das montanhas!

    Responder
  6. André Luiz P Brandão

    Marcos Mineiro , nos feitos acima acho que faltou o Jerzy Kukuzka, Polônia. Creio que esse polaco é o mais casca grossa das montanhas. É um nome meio esquecido e não tão popular quanto Messner mas… sei lá. Tu já leu algo sobre ele?

    Responder

Leave a Reply

Your email address will not be published.