Remar um caiaque por 24.000 km, ao longo de 24 meses, passando pela costa de 12 países. Esse é o objetivo que move a alemã Freya Hoffmeister ao redor da América do Sul.

Freya Hoffmeister - De caiaque pela costa sul-americana

Freya Hoffmeister

Nascida em Husum, norte da Alemanha, Freya Hoffmeister tem um filho de 15 anos, administra suas duas sorveterias, uma loja de artigos natalinos e ainda se dedica a grandes aventuras como essa.

Antes de começar suas aventuras com caiaque, Freya teve uma longa carreira esportiva. Foram 10 anos competindo como ginasta, 5 anos como fisiculturista e dez anos de paraquedismo com 1.500 saltos. Ela foi a primeira mulher instrutora na Alemanha a realizar saltos duplos, com mais de 500 alunos e fez parte de saltos em grupo com grandes formações. O lugar mais exótico que Freya saltou de paraquedas foi no Polo Norte, de um avião Iljushin russo a 330 km/h com um passageiro amarrado no seu peito.

Freya Hoffmeister

O caiaque entrou definitivamente em sua vida em 1997 e, de lá pra cá, Freya vem deixando sua marca na história desse esporte.  Foram vários títulos em competições internacionais até iniciar em grandes expedições. Em 2007 bateu o recorde de volta mais rápida na Islândia, em 2008 foi a primeira mulher a completar sozinha o contorno da Ilha Sul da Nova Zelândia e, em 2009, contornou a costa australiana em 332 dias – 28 dias a menos que o até então recordista neozelandês Paul Caffyn.

Freya Hoffmeister

A trip sul-americana

A primeira etapa da expedição já foi. Freya partiu de Buenos Aires em setembro de 2011, sentido sul, cruzou o Cabo Horn, apontou o bico de seu caiaque para o norte, seguiu pela Patagônia e descansou em Valparaíso – Chile. Foram 8.000 km em pouco mais de 8 meses.

Chegada em Valparaiso

A chegada em Valparaiso – Chile

A segunda etapa teve início esse mês e contará com outros 8.000 km, passando por Peru, Equador e outros tantos países até Georgetown – Guiana. Lá, Freya deve descansar por mais um tempo até dar início a sua terceira e última etapa, em setembro de 2013, quando passará pela costa brasileira e uruguaia até regressar a Buenos Aires. A expedição deve terminar somente em maio de 2014, pouco antes do aniversário de 50 anos dessa super atleta CRUX.

Para encarar esse desafio, ela conta com seu caiaque oceânico de 18 pés, equipamentos como GPS, celular por satélite e carregador solar, além do patrocínio da marca Thule.

Equipamento

Equipamento organizado para a trip

O desafio

No final do ano passado, ela encarou seu maior desafio nessa expedição: contornar o Cabo Horn.
Conhecido por seus ventos fortes e inconstantes, e por ondas de até 9 metros de altura, o Cabo Horn marca o extremo sul do continente americano e o encontro de 3 oceanos.

“O encanto de um desafio desse tipo é estar nas maiores ondas oceânicas do mundo, a bordo da menor embarcação imaginável”, diz o canoísta norte-americano Jon Turk, que teve seu caiaque destruído na sua primeira tentativa de contornar o Cabo, em 1979.

Mesmo triste, ao saber da morte de um dos remadores que auxiliava logisticamente na região, e após encarar ventos de até 138 nós (250 km/h), Freya Hoffmeister concluiu com sucesso a travessia.

Acompanhe

É possível acompanhar essa superaventura através do site de Freya: http://freyahoffmeister.com.
Em seu site, a alemã relata seu dia-a-dia, posta fotos e ainda disponibiliza sua tábua de navegação.

Peninsula Valdez - Argentina

Acampamento na Peninsula Valdez – Argentina

Puerto San Julian - Puerto Williams -Argentina

Em algum ponto entre Puerto San Julian e Puerto Williams, na Argentina

Puerto San Julian - Puerto Williams - Argentina

Próximo a Puerto Williams – Argentina

valeias

Freya Hoffmeister já teva a cia de baleias..

golfinhos

..de golfinhos..

Focas

..e de muitas focas!

 

Fjordo Pia - Chile

Fjordo Pia – Chile

Nascer do sol na costa chilena

Nascer do sol na costa chilena

Costa do Chile

“I was aiming for the pot of gold at the end of the rainbow..”, diz ela.

About The Author

Não se conforma com um dia de apenas 24 horas. Entre faculdade, trabalho e MundoCrux, ainda encontra tempo para remar, correr e pedalar. Já pedalou por 6 países da América do Sul e ainda sonha dar a volta ao mundo de bicicleta.

Related Posts

4 Responses

  1. Victor Peck

    Depois de ler que era paraquedista com mais de 1500 saltos, e saber que esta remando por 24 MIL Km, posso afirmar… Ela é bem CRUX!!

    Responder
  2. Archer Kayak

    Eu te admiro mulher aventureira, que vc continue firme e forte remando por e mundão!!!

    Responder

Leave a Reply

Your email address will not be published.