Só o título da matéria já gera uma curiosidade sobre Prudentópolis, não é mesmo? E quão longe você estaria disposto a ir para conhecer um lugar com este título?

Pois saiba que ele pode estar bem mais próximo do que você imagina. Localizada no interior do Paraná, a apenas 230 km de Curitiba, essa pequena cidade de apenas 48 mil habitantes, possui inúmeras cachoeiras, sendo a maior delas com 196 metros.

Como chegar?

Para ir a Prudentópolis a partir de Curitiba é só pegar a BR 277, sentido interior, e entrar a direita na BR 373. O deslocamento entre as cachoeiras é bem grande, portanto é interessante fazê-lo de carro, ou de bicicleta. Apesar de quê foi bem divertido fazê-los a pé.
 


 

As cachoeiras

Há várias cachoeiras e locais para se visitar por lá, nesta matéria vamos citar apenas alguns. Para facilitar a vida, pode-se baixar aqui um link para GPS feito no Rumos.
 

Salto São Francisco
Com 196 metros de altura, é a maior da região, seu acesso é um pouco difícil, mas no final, vale a pena.


Foto: Klecius Palma

 

Salto Mlot
120 metros de uma bela queda d’água, imediatamente a frente do Salto São Sebastião. Visitar essas duas cachoeiras pela parte de baixo é uma sensação indescritível. Os dois gigantes, lado a lado e a menos de 50 metros um do outro, te fazem repensar muitas coisas.


Foto: Alexeyflash

 

Cachoeira São Sebastião
Com 130 metros, essa cachoeira é igualmente impressionante. Uma das coisas que a torna mais especial é o camping, na fazenda onde ela está localizada. É possível montar a barraca bem de frente para ela, logo a cima de sua vizinha Mlot. Ou seja, você dorme ao som das duas cachoeiras e é surpreendido pela vista da São Sebastião logo pela manhã.


Foto: bonatotiago

 

Saltos Gêmeos
Cachoeiras bem peculiares com 100 e 130 metros. Seu acesso é bastante difícil e deve ser feito somente por quem tem costume de andar em trilhas mais fechadas.

 

Salto São João
Pode-se ver esta cachoeira a partir da estrada. Com fácil acesso à parte superior e difícil e um tanto perigoso à parte inferior. Vale a pena visitar e tirar uma foto no topo da cachoeira. O volume de água impressiona e os 84 metros de queda d’água, junto ao paredão de pedra, oferecem um belíssimo espetáculo.


Foto: Roberto Donato

 


Foto: Alexeyflash

 

Salto Barão do Rio Branco
Um dos maiores saltos da região com relação a volume de água, seu caudal é utilizado para geração de energia. Para ver seus 64 metros de queda não é muito difícil, visto que seu acesso é bem tranquilo.


Foto: Fabio Massaru Narahara

 

Rancho Perehouski
Um excelente local para se visitar e acampar. Possui uma estrutura legal para fazer um churrasco e ao mesmo tempo passeios mais fáceis para se ter contato com a natureza.


Foto: ivanprud

Dicas

  • A distância entre as cachoeiras é bastante grande, então reserve mais de um dia para conhecer a região.
  • Há todo tipo de acesso às cachoeiras, desde escadarias até trilhas um pouco forte, portanto prepare seu espírito aventureiro para elas.
  • A estrada para a cachoeira São Francisco, na parte final (15 km) não é tão boa assim, então uma caminhada ou um 4 x 4 é indicado. Uma bicicleta também resolve o caso.
  • Acampar no alto da cachoeira Mlot é simplesmente indescritível.

 

O destino já foi destaque também no Jornal Hoje:

 

About The Author

Mineiro radicado na cidade sorriso que, para quem não conhece, é Curitiba. Com 29 anos de idade, é formado em Engenharia Elétrica pela UFPR. Amante de tudo que envolve a natureza. Seus hobbies são: Paraquedismo, Montanhismo, Corrida, Ciclismo, Escalada (atualmente somente indoor) e principalmente viagens.

Related Posts

24 Responses

  1. Yuri Calazans

    Muito bom! Já pesquisei bastante sobre cachoeiras no Brasil, mas ainda não tinha ouvido falar de Prudentópolis.. Certo que ainda rola uma visita!

    Responder
    • Marcos Mineiro

      Eu sou fissurado em caichoeira e Prudentópolis creio que tem que ser um dos destinos pra quem curte!
      Cristina, União da Vitória está na lista de posts que vão chegar logo logo!

      Responder
    • Yuri Calazans

      Você é de Porto União Ruby? Legal! Não cheguei até essa cidade, mas faz uns 3 anos fiz uma viagem por umas cidades da região de Timbó, e um pouco mais pra cima conheci o Rio Negrinho… Várias cachoeiras! Mas ainda quero fazer um rafting em Porto União (li que tem uns lugares muito bons)…

      Responder
    • Cristina Ruby

      Sou de Porto União hehehehe. Tem muita cachoeira naquela região tbm, pra todos os gostos kkkkk.

      Responder
  2. Sand Kraus

    OLha Jairo Dias e Claudio Roberto, vcs vão acha muito massa…ha Renate S. Thiago…quem sabe uma visita ano que vem??

    Responder

Leave a Reply

Your email address will not be published.