Em apenas um salto,  Felix Baumgartner irá bater quatro recordes. Seus feitos serão: voo de balão mais alto, salto de paraquedas mais alto, maior velocidade em queda livre, maior tempo em queda livre.

Este é o projeto Redbull Stratos que levará Felix em um balão a 36.000 metros (120.000 pes) de altitude. Ele quebrará a barreira do som com o próprio corpo. Anteriormente esses recordes pertenciam a  Joseph Kittinger, que havia saltando, também de um balão, a  31.2000 metros (102.000 pes).

O Projeto

Além de simplesmente lançar um homem a 36.000 metros de altitude, a Red Bull visa contribuir em vários aspectos científicos. Dentre eles estão:

  • Ajudar no desenvolvimento de roupas espaciais, isso poderá ajudar até em caso de emergência, com o astronauta saindo da nave e reentrando na atmosfera.
  • Ajudar no desenvolvimento de protocolos de exposição a altas altitudes e altas acelerações.
  • Ajudar na exploração dos efeitos do corpo humano em acelerações e desacelerações supersônicas.
  • Ajudar a desenvolver paraquedas no estado da arte, envolvendo maior segurança e precisão.

No entanto o principal objetivo é que Felix alcance a velocidade do som. Isso será possível graças a baixa densidade de partículas de ar presente na estratosfera.

Equipamentos

Roupa

Desenvolvida especialmente para esse projeto, possui várias características únicas:

  •  Ser pressurizada para garantir que o sangue não evapore devido a falta de pressão;
  • Deve garantir isolamento contra os raios do sol que, sem a proteção da atmosfera, poderia incendiar uma roupa comum;
  • O oposto também é válido, a roupa deve proteger contra temperaturas extremas de até -55ºC;
  • Como ele irá voar, a roupa deve prover mobilidade ao paraquedista.

Paraquedas

Seu paraquedas também será especial, usando técnicas de saltos duplos e também desconexão do reserva.

  • Possuirá uma Drogue (estabilizador) caso ele comece a ficar desestabilizado;
  • Terá seu equipamento totalmente à prova de calor relacionado ao atrito com o ar em velocidades supersônicas;
  • Terá como segurança uma maneira de desconectar o paraquedas reserva (coisa que não acontece em equipamentos normais) se houver uma abertura acidental;
  • Terá oxigênio suplementar para suportar a abertura em grandes altitudes.

Cápsula

Para levar o aventureiro até essa impressionante altitude, a cápsula do Red Bull Stratos Project foi desenvolvida especialmente para ele. Ela possui mais de 1300 quilos e espaço útil de 1,80 metros. Além de manter Felix em segurança (vivo) durante a subida, a cápsula possui todos os instrumentos de navegação, câmeras e também um sistema de segurança em caso de impacto, ela é quase indestrutível.

Balão Será utilizado um balão com aproximadamente 850 milhões de metros cúbicos de hélio. Contando com o peso da cápsula, todo o sistema do balão pesa ao redor de 3.200kg.

O Salto

O salto será constituído de várias fases:

    1. Ascendência até a estratosfera com o balão.
    2. Chegada à altura máxima de 36.000 metros (120.000 pés).
    3. Despressurização da cápsula e o salto. Essa fase é bastante importante porque ele deve manter a posição estável em Track para conseguir atingir a velocidade do som e não perder o controle.

  1. A tentativa de atingir a velocidade do som irá até 100.000 pés, após isso a densidade de partículas de ar irá diminuir sua velocidade.
  2. Queda livre por aproximadamente 5 minutos. Mais um recorde batido, dessa vez de permanência em queda.
  3.  Abertura do paraquedas a 25.000 pés, essa é a altura mínima de abertura. Ele necessitará de oxigênio para sobreviver até alturas mais baixas – aproximadamente 15.000 pés.
  4. Após 10 minutos de navegação, Felix pousa seu paraquedas
  5. Cápsula e Balão retornam a Terra.

Veja melhor como será o salto no infográfico:

Felix

Nascido em 1969, o austríaco Felix Baumgartner sempre gostou de aventura. Paraquedista e BASE jumper, se tornou membro do time da Red Bull e logo entrou para o projeto Stratos.

Primeiro teste

Dia 15 de março 8:10 da manhã em Rosewell, Felix fez o primeiro tripulado no balão de hélio. O teste ocorreu perfeitamente com o salto a míseros 60.000 pés! Vejam o vídeo.

 

Um Pouco de História

 

About The Author

mm

Mineiro radicado na cidade sorriso que, para quem não conhece, é Curitiba. Com 29 anos de idade, é formado em Engenharia Elétrica pela UFPR. Amante de tudo que envolve a natureza. Seus hobbies são: Paraquedismo, Montanhismo, Corrida, Ciclismo, Escalada (atualmente somente indoor) e principalmente viagens.

Related Posts

8 Responses

  1. Ewaldo Luiz Mehl

    No texto há um erro grave de Física. Diz que "Chegada à altura máxima de 36.000 metros (120.000 pés) onde há menos de 1% da gravidade." Isto não é verdade. A força da gravidade diminui muito pouco com a altitude e a 36 km de altura a aceleração da gravidade é praticamente a mesma que se tem no nível do mar. No topo de Monte Everest (8.850 metros de altitude) tem-se uma diminuição de peso de cerca de 0.28%. Outro exemplo: a uma altitude de 400 km, que é a órbita da Estação Espacial Internacional, a aceleração da gravidade é aproximadamente 90% de seu valor na superfície da terra. A sensação de "falta de peso" que os astronautas sentem no espaço na verdade acontece porque objetos em órbita estão em queda livre. Um abraço!

    Responder

Leave a Reply

Your email address will not be published.